Vice presidente do Banco Central francês usa blockchain para melhorar seu sistema financeiro

Por: Daniela Abrantes

Publicado em 29/11/2019

Blockchain impactando nas terras francesas

Denis Beau, primeiro vice-presidente do Banco Central Francês, retratou na Conferência Anual de Tecnologia e Inovação do Mercado de Capitais da AFME, no dia 21 de novembro, sobre formas de inovação e crescimento dos mercados de capitais na Europa.

“A tokenização de ativos financeiros combinada com o recurso a soluções baseadas em blockchain e mais amplamente as tecnologias de ledger distribuído para armazenar e transferir esses ativos pode ajudar a responder às demandas do mercado”, afirma Denis Beau.

O experimento das tecnologias foi proposto por um funcionário do Eurosystem, visando melhorar as condições de liquidação de moedas, já que Beau especificou que a DLT facilita os processos brutos, de entrega versus pagamento, liquidação de moedas, resiliência e recuperação de incidentes operacionais.

Os desafios existem, mas não são impossíveis

No decorrer de todas as transações existem riscos de “abordagens desordenadas e adaptações heterogêneas das infraestruturas de mercado, principalmente no que diz respeito às modalidades de liquidação”, observou o vice-presidente ao se deparar com esses desafios. Entretanto ele afirmou que o ecossistema tradicional baseado em bancos poderiam enfrentar mudanças significativas devido aos desenvolvimentos tecnológicos, como a blockchain e o DLT.

“Com o surgimento dos chamados criptoativos e […] stablecoins, também podemos desenvolver novos ativos de liquidação que podem competir e, segundo seus promotores, substituir dinheiro comercial e do banco central como ativos de liquidação em seus promotores. o centro de nossos sistemas de pagamento”, relata Denis Beau.