Taxa Selic passa a valer 4,5% ao ano

Por: Daniela Abrantes
Publicado em 13/12/2019

Renda Fixa pode não ser mais um investimento rentável

Visando reduzir os juros, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu cortar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual, fazendo com que fique 4,5% ao ano.

Os motivos seriam a retomada da economia e a alta da inflação por conta do preço da carne. O Banco Central aponta que a “recuperação seguirá em ritmo gradual”.

Pórem as autoridades monetárias veem um “ambiente relativamente favorável para economias emergentes”, estimulando o investidor a buscar novas opções de aplicação, incluindo as critptomoedas.

É a menor taxa básica da história

O planejador José Raymundo de Farias Júnior, da Planejar, afirma que o brasileiro ainda não se atentou para o novo momento da economia:

“As pessoas ainda não perceberam que estão perdendo dinheiro com recursos na caderneta de poupança ou em fundos DI. Na média, quem tem até R$ 1 mil em um fundo DI, paga uma taxa de administração de 1,93% ao ano. Quem tem de R$ 1 mil a R$ 25 mil, hoje, paga 1,1% de taxa por ano nesses produtos.”

As aplicações tradicionais como a caderneta de poupança, os fundos de renda fixa atrelados à taxa DI, que acompanha de perto a taxa Selic (Fundos DI), e os títulos de Tesouro Direto indexados pela Selic (Tesouro Selic) irão dar um retorno real negativo para o investidor.

Um exemplo disso será na poupança. Quem depositar R$ 1 mil a partir de hoje, vai sacar daqui a um ano R$ 1.031,50. Porém com a inflação o montante passa a ser de R$ 994,37.