Projeto de lei argentino quer permitir o pagamento de salário em criptomoedas para funcionários e exportadores de serviços

Para preservar o poder de compra e fortalecer a autonomia financeira dos  trabalhadores argentinos, o deputado do país  José Luis Ramón,  apresentou um projeto de lei ao congresso argentino que permite que funcionários e exportadores de serviços recebam seu salário total ou parcial em criptomoedas.

Se o projeto for aprovado, os argentinos poderão escolher receber seus salários em peso argentino ou criptomoeda. Segundo o deputado,  a iniciativa serve para que os trabalhadores tenham maior liberdade e não sofram as as dinâmicas causadas pela desvalorização do peso argentino e passem a tolerar perda de direitos ou a exposição a situações de abuso no âmbito da relação de trabalho.

O texto da lei oferece duas opções de pagamento de salário aos trabalhadores: O salário por ser acordado em pesos, mas sendo referenciado em criptomoedas no dia do pagamento, ou o salário é diretamente pago em criptomoedas concordando uma parte do seu salário na moeda digital (não em pesos no valor do dia).

A população da Argentina tem sofrido com a desvalorização da moeda local, que tem acumulado uma inflação de mais de 40% ao ano. Atualmente um peso argentino vale o equivalente a 0,010 dólares. A desvalorização do peso impede que os argentinos preservem seu poder de compra e patrimônio e faz com que eles recorram ao dólar e às criptomoedas.

No entanto, a compra de dólar no país é restrita a 200 dólares por pessoa ao mês, o que faz com que a procura por cripto aumente. Segundo  a Bitwage,  plataforma que converte  moeda fiat em cripto, as transações mensais dos argentinos aumentaram 300% no último ano. Além disso, a plataforma também registrou um aumento de mais de 500% no número de novos cadastros originados do país.