Nova proposta de reforma tributária pode levar investidores para o mercado de ativos digitais

Na última sexta-feira (25) o Ministério da Economia encaminhou ao Congresso Nacional a segunda fase da reforma tributária. Na proposta, alguns pontos chamaram atenção do mercado, como o percentual de taxação de 20% sobre dividendos, a possibilidade de taxação sobre fundos imobiliários e juros sobre capital próprio. Se aprovada, a nova tributação abre espaço para que investidores procurem novas alternativas de investimento mais rentáveis. O mercado de ativos digitais pode ser uma dessas opções.

É importante frisar que a proposta ainda está sendo debatida e que muitos pontos serão revisados e possivelmente retirados da proposição. A taxação de dividendos já era esperada pelo mercado, mas o percentual de 20% sugerido saiu acima do esperado. A grande surpresa ficou por conta da possível taxação de 15% em cima dos Fundos Imobiliários (FII), o que o mercado entende por algo muito negativo. 

Até o momento existem muitos debates a respeito da Reforma, como exemplo a migração dos investidores para outros mercados. Segundo o contador Gabriel Fernandes, o mercado de ativos digitais pode absorver muitos desses investidores. 

“Eu não tenho dúvidas de que os investidores vão procurar outros investimentos mais lucrativos, o mercado de ativos digitais é uma opção. Apesar da volatilidade que pode assustar no começo, é ela também responsável pelos altos ganhos. Sem dúvidas vai surgir uma demanda de pessoas querendo aprender mais sobre o mercado estudando muito, os mais arriscados investirão por conta própria e os que gostam de segurança buscarão as gestoras de ativos digitais e fundos de cripto”, comentou.

De acordo com Gabriel, outro ponto importante para que os criptoativos ganhem destaque é a baixa tributação em cima dos ganhos com ativos digitais. 

“Atualmente existe a regulamentação e tributação de criptoativos disposta na normativa 1888/19 da Receita Federal, que determina que a taxação será feita no Imposto de Renda e deve acontecer a partir do momento que as conversões de criptomoedas para real sejam de 30 mil reais mensais. Abaixo desse valor, é necessário a declaração, mas não há a tributação sobre os ganhos. Esse pode ser mais um atrativo do mercado cripto para os investidores,” esclareceu Gabriel.

Apesar das suposições, o contador não acredita que o texto base da Reforma seja aprovado e segundo ele muitos pontos serão mudados.

Você pode ter acesso às proposições da Reforma clicando aqui