Nova atualização na blockchain do bitcoin permitirá a criação de smart contracts e promete deixar a rede mais rápida, segura e barata

A rede do bitcoin, maior criptomoeda do mercado, passará pela quarta atualização desde a sua criação em 2009. No próximo domingo (14) a atualização chamada de  Taproot será inserida na blockchain do ativo e promete melhorar a experiência dos seus usuários no dia a dia, ela também permitirá a criação de  Smart contracts a partir da rede do BTC. 

 

De acordo com os desenvolvedores da Taproot, o update  vai melhorar a experiência com o bitcoin tornando as transações mais rápidas e as taxas mais baratas, isso porque permitirá que mais transações possam ser inseridas em um mesmo bloco. 

 

Um dos pontos mais importantes da atualização está na eficiência de dados e segurança, que ocorrerão através da alteração de dados no processo de assinatura das transações, que passarão a ter múltiplas assinaturas ilegíveis, o que na prática, traz uma maior privacidade para os usuários, que terão a diminuição da exposição  de suas chaves privadas na rede.

 

Outra grande novidade está na mudança do protocolo da blockchain do BTC, que passará a permitir a criação de smart contracts assim como os usados nas Finanças Descentralizadas (DeFi) e  certificados digitais (NFTs). Com a criação desses contratos a rede do bitcoin poderá concorrer com outras blockchains que criam soluções de segunda camada, como a Ethereum, Solana, Cardano e Polkadot. 

 

De acordo com Talles Xavier, cripto trader e analista fundamentalista, a taproot trará mais usabilidade para o bitcoin, aumentando o  seu valor  e consequentemente seu preço no mercado. 

 

“Todo mercado cripto está aguardando essa atualização, que é a maior desde a segwit que aconteceu em 2017. Se ela acontecer de forma positiva e animar os investidores, é possível que o bitcoin chegue a valores bem interessantes até o fim deste ano”, explicou.

 

As atualizações da blockchain do bitcoin são feitas a partir do consenso dos mineradores que compõem a rede. Cerca de 90% deles precisam aprovar a proposta de atualização para que ela seja implementada.