Grande passo para os ativos digitais no Brasil: Banco Central regulamentará criptomoedas como investimento e forma de pagamento.

O Banco Central do Brasil vai regulamentar as criptomoedas no país, foi o que disse o presidente da instituição, Roberto Campos Neto na apresentação do relatório trimestral sobre inflação. Campos Neto respondeu a uma pergunta sobre criptomoedas e disse que o BC vai regulamentar os ativos digitais como forma de investimento e posteriormente como forma de pagamento.

 

De acordo com o presidente, existem alguns projetos e discussões sobre criptoativos em andamento. A prioridade na regulamentação dos ativos digitais como forma de investimento vem da visão de Campos Neto, de que os ativos digitais cresceram muito nos últimos meses porque as pessoas os veem como uma forma de investimento. 

 

“Os brasileiros estão usando muito este instrumento como veículo de investimento, mas lembrando que uma moeda tem uma função de meio de pagamento. Então, quando a gente olha o que tem acontecido com a criptomoeda enquanto meio de pagamento, tem crescido bem menos, bem pouco,” comentou.

 

Campos Neto também enxerga que as pessoas estão buscando o bitcoin para não sofrer com a inflação ocasionada pelas recentes impressões de dinheiro feitas pelos bancos centrais no mundo. 

 

“Tem uma parte de ter uma oferta finita, que faz com que, nesse mundo onde bancos centrais estão fazendo QE (flexibilização quantitativa) e expansões monetárias, acabe gerando também uma sensação de que é um investimento que pode se pagar”, comentou sobre o bitcoin. 

 

A visão do presidente sobre o bitcoin já mudou algumas vezes só esse ano. Em maio, o Campos Neto disse que regulamentar o bitcoin era irrelevante, mas em agosto ele divulgou que o BC junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) estavam estudando alguns projetos para regulamentar o ativo no Brasil.

 

Ao que parece, a força e crescimento dos ativos digitais apressou esse processo de regulamentação por parte da instituição. Mas ainda não há uma data prevista para que ela aconteça e nem como será feita.