Empresa da Budweiser pode ajudar agricultores africanos com blockchain

Por: Daniela Abrantes
Publicado em 24/01/2020

O rei da blockchain!

A empresa AB InBev, através de uma parceria com o BanQu, rastreia todos os fornecedores através de um sistema baseado em blockchain, ajudando agricultores africanos a provar sua renda.

A empresa possui uma estratégia para utilizar fornecedores locais, recebendo incentivos fiscais por sua contribuição com a economia do país. Entretanto, na África eles ainda enfrentam desafios, pois a infraestrutura bancária é subdesenvolvida e os documentos em papel são difíceis de obter.

“Essa agricultora, que nunca teve conta em banco – porque ela não podia provar renda de nenhuma fonte, não tinha relatórios, material ou papelada – agora em um telefone, ela tem a prova blockchain de que ela é uma fornecedora da AB InBev, uma empresa global.”, explicou Carlos Brito o CEO da AB InBev.

Com essa problemática, a AB InBev fez a parceria que possibilitou a criação de um sistema de contabilidade distribuída, rastreando os agricultores que fornecem cevada e malte para as marcas Budweiser, Stella Artois e Corona, por exemplo.

O sistema ajuda na corrupção já que as agora os agricultores conseguem provar o faturamento do serviço, e ainda permite que os agricultores financiem ferramentas agrícolas eficientes, aumentando seus rendimentos e recebendo mais lucro.

“Eles se tornam agricultores comerciais e todos ganham. Os consumidores ganham e criamos empregos mais formais. O governo cobra impostos. Em vez de enviar o dinheiro para a Europa, Austrália ou Canadá comprando cevada ou malte, mantemos o dinheiro lá.”, comentou Carlos Brito.

O projeto vem sendo aplicado na Índia e na Uganda, onde também existe uma agência local da Exchange Binance.