Criptomoedas superam Nubank e Banco Inter

Por: Allef Henrique
Publicado em 19/11/2019

Mercado de cripto conquistando posições

A KPMG publicou ontem (18) o Fintech100 2019, o ranking das principais funtechs de todo o mundo neste ano e empresas de criptomoedas surpreenderam. O Nubank, famosa startup brasileira de serviços financeiros, ficou em 16º lugar, perdendo lugar para a Robinhood, plataforma focada em bitcoin e criptomoedas, que conquistou o 14º lugar em um ranking dominado por empresas asiáticas.

No mercado de criptomoedas, a Robinhood ficou com o primeiro lugar, enquanto o Nubank conquistou a primeira colocação entre as brasileiras. O Brasil ainda ganhou espaço com mais 3 empresas nessa corrida, como as Creditas e Rebell, além do Banco Inter que acabou ficando com a 28ª posição, atrás de outra empresa de criptomoedas, a Revolut, que conseguiu a 24ª posição.

China dominando tudo

Nesse mesmo ranking, a China domina com empresas como o Alipay que ficou com a primeira colocação, seguido pelo Grab (um modelo de Uber de Singapura com um sistema de pagamentos) e o JD Digits (empresa de tecnologia com foco em serviços online e offline dedicado a dados, usuário, conectividade, usando tecnologias como bid data, IA, computação em nuvem, blockchain e Iot).

“Como o desenvolvimento da fintech continua forte na China , estamos vendo algumas mudanças no cenário da fintech na China . Alinhados às tendências que observamos globalmente, vemos um número crescente de riqueza, empresas de seguros e multissetoriais da China na lista, o que indica que as tecnologias e inovações se espalharam por mais setores de serviços financeiros.Também podemos ver um aumento no número de empresas de fintech de Hong Kong na lista após uma série de esforços pela Autoridade Monetária de Hong Kong para facilitar o desenvolvimento do ecossistema fintech em Hong Kong. Com as vantagens competitivas das principais empresas de fintech de Shenzhen e o aumento da cooperação e interações entre as empresas de fintech na região, a Grande Baía está se tornando um importante centro de fintech na China e, sem dúvida, tem um papel fundamental a desempenhar na transformação contínua de serviços financeiros”, disse Chris Wang, chefe da KPMG na China.

De acordo com a KPMG, o relatório divulgado mostra como as empresas Funtech100 estão seguindo algumas tendências e mudando o mundo com soluções para mais de 2.5 bilhões de clientes. A KPMG também alerta que muitas dessas empresas se beneficiaram de serviços bancários abertos, o que permite acessar dados bancários de clientes para criar serviços muito mais personalizados.