Bitcoin é mais sustentável que qualquer país do mundo, segundo relatório de empresa global de energia

 

De acordo com um relatório feito pelo Grupo BP, empresa global de energia, o bitcoin é mais sustentável que qualquer país ou indústria do mundo. Segundo a pesquisa que avaliou os dados globais de energia, o ativo utiliza 56% de energia renovável  na sua mineração.

O relatório da empresa é o único do tipo a detalhar o mix de energia do bitcoin, mostrando que o uso de energia verde aumentou de 36,8% no primeiro trimestre de 2020 para 56% agora.

O resultado é uma estimativa da empresa, já que o relatório foi feito apenas com 32% dos mineradores de bitcoin do mundo e 67% deles usam energias renováveis. A BP fez uma estimativa geral em cima desse percentual levando em consideração toda rede de mineração e concluiu o resultado de 56% de energia renovável usada na mineração.

 

(Uso de energia renovável usada pelo bitcoin x países)

Energia sustentável é aquela definida como eletricidade produzida a partir de geração hídrica, eólica, solar, nuclear, geotérmica e baseada em carbono com créditos líquidos de carbono.

Segundo o estudo, o país que menos usa energia renovável na mineração é a China, que usa apenas 14,4% de energia sustentável, em contrapartida, é o país que mais consome energia na mineração, cerca de 39.361 TW/h, dos 162.184 TW/h. de consumo global. 

 

(Consumo de energia no mundo x países x bitcoin) 

O aumento do uso de energia renováveis na mineração do bitcoin pode acontecer por dois motivos: a preocupação de fato da indústria da mineração com o assunto e a criação de pequenas hidrelétricas e fazendas solares pelos mineradores para baixar o custo da mineração e que acabam aumentando o uso de energias limpas na mineração de modo geral.