Banco Central inclui oficialmente criptomoedas em balanço de 2019

Criptoativos oficialmente na balança comercial

Em agosto, conforme publicamos aqui no Brais News, o Banco Central do Brasil (Bacen) havia publicado em nota oficial que iria incluir bitcoin e demais criptoativos na balança comercial da instituição. A medida é uma das recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI) para os bancos centrais de todo o mundo, em 2019.

Nesta semana o BACEN revisou o Balanço de Pagamentos do Brasil de 2019 e também projetou o ano de 2020 com relação ao meio financeiro. As transações de criptoativos entre brasileiros serão contabilizadas nos dados, na categoria de “ativos financeiros não produzidos”, nos dados de bens da balança comercial deste ano.

Bitcoin como ativo digital

A denominação de “ativos financeiros não produzidos” dada pelo BACEN vem de encontro às recentes definições de ativos digitais, dada pelo próprio Banco Central em declarações anteriores. O Brasil tem sido um dos destaques no cenário internacional, no que se refere aos criptoativos.

Os brasileiros têm realizado cada vez mais transações de criptoativos, principalmente para a compra de bitcoin, conforme indica o órgão federal que regulamenta os bancos. Com relação à mineração, processo que certifica as transações de criptomoedas e gera novas unidades de moeda, o Banco Central classificou como um “processo produtivo”, e não especificou mais sobre o tema.

O que esperar do balanço?

As expectativas do balanço oficial do Banco Central do Brasil são diversas. Principalmente para ter dados mais específicos do volume de transações com criptoativos no país. Ele pode indicar a posição do Brasil no cenário global da criptomercado, deixando claro percentual de crescimento do bitcoin em terras brasileiras.

Por: Fábio Vieira