Akoin, criptomoeda criada pelo cantor Akon passa no teste-piloto e aguarda implementação em todo Quênia

 

A criptomoeda Akoin criada pelo cantor senegalês-americano Akon passou com sucesso pela fase de teste iniciada em novembro de 2020. A cripto foi usada pela Mwale Medical Technology City (MMTC), uma cidade recém-construída no oeste do Quênia que engloba um complexo médico e tecnológico de última geração. Após os resultados positivos do teste, a Akoin agora terá um lançamento nacional em setembro. 

Durante o projeto piloto, o ativo digital foi usado por residentes da MMTC para pagar e receber usando a cripto e ter as transações convertidas imediatamente em minutos de telefone celular ou outras formas de troca. 

Com o sucesso dos testes, a Akoin terá implementação de 100% na cidade e segundo um porta voz da Mwale, até 2022 a moeda será a única plataforma de transações comerciais na cidade, o que pode aumentar suas movimentações mensais em até 2 bilhões de dólares.

O lançamento oficial da criptomoeda no Quênia, em setembro, começará justamente com a implementação de 100% na MMCT. As projeções são de que o projeto comece com a adesão de 5.000 trabalhadores nos primeiros seis meses e chegue aos 20.000 trabalhadores até o fim de 2022.

Segundo o porta-voz da MMCT, a Akoin deverá se tornar a segunda plataforma de pagamento se tornará a segunda mais popular da cidade, depois do M-Pesa, um serviço de transferência de dinheiro e microfinanciamento baseado em telefone celular, muito popular na África e em outras partes do mundo em desenvolvimento.

Akoin é uma criptomoeda projetada para ajudar empresários, proprietários de negócios e ativistas sociais a realizar transações locais, sem muitos dos obstáculos que dificultam os mercados emergentes na África. 

O projeto tem ganhado destaque pelos planos ambiciosos do seu criador, Akon, que pretende criar uma “Wakanda da vida real”, cidade que segue a lógica do filme de super-heróis e teria um sistema financeiro sustentado pela Akoin.