A teoria da conspiração sobre a descoberta da NASA do Universo Paralelo

Por: Amanda Martins

Publicado em 27/05/2020

Afinal, que história é essa de tempo ao contrário?

A revista New Scientist publicou um artigo discutindo alguns resultados anômalos provenientes de experimentos de detecção de neutrinos na Antártica, e o que isso poderia significar para um modelo cosmológico especulativo de que há um universo antimatéria que se estendeu a partir do Big Bang.

Através da Anita, a Antena Impulsiva Transiente da Antártica, da Nasa,  os especialistas tinham a intenção de detectar o constante “vento” de partículas de alta energia vindas do espaço, devido a uma variante de alta energia interrompida pela matéria sólida da Terra, os neutrinos subatômicos só podem vir do espaço.

Porém, o que chocou os especialistas foi que detectaram uma onda que saiu da Sibéria, atravessou o planeta e parou na Antártida.

A manchetes foram bem apelativas, até afirmavam que nesse universo paralelo o tempo seria disposto ‘ao contrário’. Na verdade, a descoberta tem mais a ver com gravidade quântica, teoria das cordas e supersimetria; todas aquelas teorias de Stephen Hawking devem ser estudadas e testadas antes que possamos concluir (e sequer entender) tudo o que está acontecendo.

Por isso mesmo, o astrofísico argentino Gustavo Esteban Romero alertou:

“Os cientistas precisam ter cuidado ao falar à imprensa. As afirmações de Gorham ficaram ‘adormecidas’ quase dois anos antes de a New Scientist resgatá-las em outro contexto, tratando da especulação sobre multiversos.”

Portanto lembre-se sempre de checar as informações corretas e as melhores fontes de pesquisa!